INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: DE PERTO, NINGUÉM É ANORMAL: A CONSTRUÇÃO DISCURSIVA DE IDENTIDADES, EM NARRATIVAS DE TRAJETÓRIAS ESCOLARES LONGAS, DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): PATRICIA MONTEIRO LACERDA

Colaborador(es):  RALPH INGS BANNELL - Orientador
Número do Conteúdo: 9611
Catalogação:  08/03/2007 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=9611@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=9611@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.9611

Resumo:
Esta tese apresenta perfis de configuração identitária, a partir de narrativas de trajetória escolar - da educação infantil à universidade - de sete pessoas com diferentes lesões congênitas (cegueira, baixa visão, paralisia cerebral e mielomelingocele). Alinhada a uma concepção socioconstrutivista da linguagem, articula a análise dos posicionamentos acionados nas entrevistas às posições de sujeito disponibilizadas pelos discursos pedagógicos e pelos movimentos sociais, para as pessoas que não se encaixam no que foi historicamente estabelecido como corpo normal. Essa perspectiva é inspirada nos Disability Studies, nos trabalhos de Michel Foucault e na sociolingüística que fornecem instrumentos para captar os efeitos contextuais de quem diz o quê para quem, observando como as pessoas incorporam, recusam, ignoram ou resistem às interpretações hegemônicas de normalidade e diferença, em nossa sociedade, hoje. Uma das contribuições do estudo é demonstrar que no movimento identitário a presença de atributos físicosensoriais diferenciados do padrão não posiciona, necessariamente, os indivíduos como pessoas com deficiência. As pistas de que o discurso da integração individual, através da auto-superação com apoio da família, ainda prevalece sobre as formações discursivas da inclusão e da diferença, nos põe a pensar sobre as condições de possibilidade de emergência, no Brasil, de discursos contrahegemônicos que possam deslocar as diferenças físico-sensoriais- cognitivas do lugar de anormalidade.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT E SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
CAPÍTULO 6  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui