INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: ERA ELE, E ERA EU: ATRAVESSAMENTOS ENTRE GÊNERO E HORIZONTALIDADE EM NARRATIVAS DE OCUPAÇÃO ESTUDANTIL SECUNDARISTA
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): DEBORA MURAMOTO ALVES DE CASTILHO

Colaborador(es):  LILIANA CABRAL BASTOS - Orientador
Número do Conteúdo: 36161
Catalogação:  17/01/2019 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=36161@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=36161@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.36161

Resumo:
As ocupações de escolas estaduais de 2016 no Rio de Janeiro acenderam uma fagulha de resistência entre secundaristas. Partindo desse contexto, esta pesquisa se propõe a analisar, sob uma ótica local, como a horizontalidade, parâmetro central nas propostas dos movimentos de ocupação, se apresenta nas falas sobre o movimento dos jovens ocupantes. Examinaremos como sentidos e identidades se constroem em narrativas sobre a ocupação, focalizando como gênero e poder orientam tais construções. Adota-se a entrevista de pesquisa semiestruturada para a geração de dados e, para a análise, a perspectiva Sociointeracional e a Análise da Narrativa, situadas no paradigma qualitativo e interpretativista da pesquisa. A análise foca nas narrativas coconstruídas nas entrevistas, pois as compreende como um espaço de criação e negociação dos significados que transitam no âmbito macrossocial. Os resultados apontam para estratégias narrativas que procuram justificar discursivamente as interferências na horizontalidade, responsabilizando as circunstâncias por atitudes assimétricas dos participantes. Nota-se que o caráter generificado do discurso, relacionado com cenários onde o binarismo das categorias homem e mulher prevalece, ainda sustenta um lugar socialmente marcado. Em contrapartida, percebe-se que o letramento social da ocupação, que trouxe a horizontalidade como possibilidade normativa, gerou questionamentos que promoveram posturas agentivas, contrárias à lógica tradicional patriarcal. Por fim, esta dissertação levanta um debate crítico e multidisciplinar, que convida à reflexão sobre as possibilidades práticas de, no espaço escolar, se desconstruir paradigmas de gênero muitas vezes problemáticos e potencialmente limitantes para a realização subjetiva do eu.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui