INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: POR UM SENTIR CRÍTICO: UM OLHAR FEMINISTA INTERSECCIONAL SOBRE A SOCIOCONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES SOCIAIS DE GÊNERO, RAÇA/ETNIA E CLASSE DE PROFESSORAS DE LÍNGUAS
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): THAIS REGINA SANTOS BORGES

Colaborador(es):  ADRIANA NOGUEIRA ACCIOLY NOBREGA - Orientador
Catalogação:  03/05/2018 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=33770@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=33770@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.33770

Resumo:
O objetivo desta pesquisa é entender a socioconstrução de identidade de três professoras de inglês como língua estrangeira em relação a seus atravessamentos interseccionais (Ferreira, 2012, 2015; Collins;Bilge, 2016), por meio de uma análise micro, utilizando o sistema de avaliatividade da Linguística Sistêmico-Funcional (Halliday;Hasan, 1989; Halliday, 1994; Martin;White, 2005), e de uma análise macro, em um processo de reflexividade crítica que visa o amadurecimento de um sentir crítico (Borges, 2016), pautado na sensibilização quanto a questões de sofrimento humano, estigma, ideologia e relações de poder (Foucault, 1969; Goffman, 1963; Butler, 1993). Assim, analiso narrativas de momentos críticos vivenciados pelas professoras e histórias de agentividade em suas práticas pedagógicas cotidianas, com base na metodologia qualitativa de pesquisa, em especial no conceito de conhecimento situado (Haraway, 1988), e em alinhamento à epistemologia feminista interseccional (Lykke, 2010). Os resultados indicam a influência direta das identidades sociais de gênero, raça/etnia e classe social na construção discursiva de suas práticas identitárias de professora, reforçando a importância de compreendermos os atravessamentos identitários que nos configuram, no mundo e com o mundo (Souza, 2011), para a promoção de uma consciência crítica (Freire, 1987) e de lutas hegemônicas (Fairclough, [1992] 2001) possíveis no cenário da sala de aula de língua estrangeira como um lugar de dissenso e desaprendizagem (hooks, 1994, 2003; Moita Lopes et al, 2006, 2013). Reforço ainda que a contribuição deste trabalho está não em dar voz a essas mulheres, mas, sim, em nos permitir ouvir as representações que fazem da realidade (Riessman, 1993) da sala de aula, visando a coconstrução e ressignificação dessa experiência, para fomentar o devir do sentir crítico que defendo neste trabalho.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui