INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: CINEMA, EDUCAÇÃO E O CINECLUBE NAS ESCOLAS: UMA EXPERIÊNCIA NA REDE PÚBLICA DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO RIO DE JANEIRO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): BEATRIZ MOREIRA DE AZEVEDO PORTO GONCALVES

Colaborador(es):  ROSALIA MARIA DUARTE - Orientador
Número do Conteúdo: 23891
Catalogação:  15/01/2015 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=23891@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=23891@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.23891

Resumo:
Esta dissertação tem como objetivo central descrever e analisar práticas cineclubistas em escolas vinculadas ao Projeto Cineclube nas Escolas, uma política pública da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ), iniciada em 2008. Em 2012, período em que foi realizado o presente estudo, 248 unidades da Rede estavam envolvidas no Projeto. Idealizado pela Gerência de Mídia-Educação da SME-RJ, com a participação dos professores, o Projeto estimula ações cineclubistas nas escolas: projeção, discussão e produção de filmes. A pesquisa, de base qualitativa, teve como foco as atividades desenvolvidas em nove escolas, adotando como estratégias principais de produção de material empírico: observação participante; realização de entrevistas semiestruturadas, registradas em áudio; coleta de materiais didáticos e de exercícios elaborados pelos professores e análise de documentos e declarações oficiais. Todo o material produzido no trabalho de campo foi submetido à análise de conteúdo, procurando identificar as concepções de cinema, cineclubismo e de educação que são praticadas no cotidiano do Projeto. O referencial teórico da dissertação triangula o pensamento de Alain Bergala e de Jacques Rancière – autores que, sinalizando o potencial transformador do cinema e problematizando as estruturas e finalidades das instituições de ensino formais, inspiram a proposta do Cineclube nas Escolas – com os apontamentos que Jean-Claude Forquin elencou ao estabelecer relações entre escola e cultura (Forquin, 1993). Jesús Martín-Barbero completa o quadro conceitual da pesquisa, oferecendo chaves para a compreensão das dinâmicas presentes nas mediações que tomam lugar nos cineclubes e nos estabelecimentos de ensino formal. A investigação observou que o Projeto estudado assume diferentes feições, de acordo com a realidade e cultura próprias de cada escola visitada. Ainda que a concepção da gestão central do Projeto vise a valorização da linguagem audiovisual pelo prazer estético ou como um discurso artístico diferente do conhecimento científico, de um modo geral, predominam, na prática cotidiana do Projeto, a tradicional interpretação de texto e outros usos focados nos conteúdos escolares presentes nas narrativas audiovisuais. Isso demonstra que o audiovisual na escola sempre estará a serviço de um modelo de educação, que, por sua vez, é definido na tensão entre as finalidades de preservação ou de transformação social da instituição escolar.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui