INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: DESLOCAMENTO DE FLUIDOS NEWTONIANOS EM POÇOS DE PETRÓLEO HORIZONTAIS NÃO RETILÍNEOS
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): MARCELO LOPES DE ALBUQUERQUE
RAFAEL ALBERTO VALPACOS DE L LEAL

Colaborador(es):  PAULO ROBERTO DE SOUZA MENDES - Orientador
Número do Conteúdo: 15831
Catalogação:  29/06/2010 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TRABALHO DE FIM DE CURSO
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=15831@1
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.15831

Resumo:
Na cimentação de poços de petróleo, o fluido de perfuração, que remove detritos e auxilia no resfriamento da broca, é deslocado através do espaço anular no entorno da coluna de revestimento e substituído pelo cimento, que garantirá a estabilidade estrutural e vedação hidráulica da parede do poço. Para alcançar melhores resultados, utilizam-se, ainda, fluidos intermediários, chamados colchões lavadores e espaçadores. A fim de assegurar a retirada integral da lama de perfuração e a não contaminação do cimento, deseja-se obter uma interface entre os fluidos a mais estável e plana possível. Todavia, poços de petróleo intrinsecamente apresentam um perfil não retilíneo, o que dificulta ainda mais o processo, especialmente nos ainda pouco estudados poços horizontais. Com o intuito de investigar qualitativamente a eficiência de deslocamento, sem desprezar as irregularidades do poço, construímos uma planta experimental com tubos horizontais concêntricos em forma de uma série de ondas triangulares. Foram realizados testes de visualização para as razões de viscosidades do fluido deslocador sobre o deslocado, u(1)/(u)2 = 0,14, (u)1/(u)2 = 0,50, (u)1/(u)2 = 1,90 e (u)1/(u)2 = 8,35, utilizando se soluções aquosas de mel e glicerina, ambas newtonianas, com massas específicas semelhantes. Através de fotografias seqüenciais, observou-se que, quanto maior a viscosidade do fluido deslocador em relação ao deslocado, mais estável é a interface. Por outro lado, quando a razão de viscosidades diminui, ocorre a interpenetração do líquido deslocador, formando viscous fingers que seguem preferencialmente a sinuosidade do caminho, deixando material para trás, principalmente nos cantos vivos. A relação entre o tempo necessário para a completa substituição de um certo volume de fluido por outro e a vazão volumétrica do escoamento também demonstra que razões de viscosidades maiores levam a uma maior eficiência do processo.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF  
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui