Logo PUC-Rio Logo Maxwell
TRABALHOS DE FIM DE CURSO @PUC-Rio
Consulta aos Conteúdos
Estatística
Título: IMPREGNAÇÃO DO BAMBU DENDROCALAMUS GIGANTEUS UTILIZANDO NITRATO DE COBRE
Autor(es): RICHARD BRYAN MAGALHAES SANTOS
Colaborador(es): SONIA LETICHEVSKY - Orientador
ROBERTO RIBEIRO DE AVILLEZ - Coorientador
Catalogação: 03 11:10:20.000000/MAR/2017 Idioma(s): PORTUGUÊS - BRASIL
Tipo: TEXTO Subtipo: TRABALHO DE FIM DE CURSO
Notas: [pt] Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
[en] All data contained in the documents are the sole responsibility of the authors. The data used in the descriptions of the documents are in conformity with the systems of the administration of PUC-Rio.
Referência(s): [pt] https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/projetosEspeciais/TFCs/consultas/conteudo.php?strSecao=resultado&nrSeq=29272@1
DOI: https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.29272
Resumo:
Devido a uma maior preocupação com o meio-ambiente e materiais renováveis, e também a algumas de suas propriedades naturais; o bambu tem chamado atenção de engenheiros e cientistas dos ramos da civil e de materiais. Dentre essas propriedades podemos destacar: sua alta resistência à tração - comparável àquela do aço -, uma estrutura tubular reforçada por segmentos, que resulta em menor peso e providencia uma resistência a fraturas e flambagem, é um isolante térmico natural, o que auxilia na manutenção da temperatura no interior da construção. Ademais, ele é fácil de ser produzido, gera uma grande quantidade de O2 e ajuda a fixar CO2, sendo dessa maneira não apenas um bom material, mas também um material sustentável. Um dos contrapontos, todavia, é o fato de que, como todo material biológico, ele está sujeito à degradação de agentes bacterianos e fúngicos. O presente trabalho visa à síntese e impregnação subsequente de nanopartículas de cobre no bambu de modo a aumentar sua resistência a agentes biológicos. Um trabalho anterior do grupo indica que isso pode ser alcançado com o uso de nanopartículas de prata. O método a ser descrito propõe uma variação do método anterior, visto que o cobre, assim como seu óxido, também é conhecido pelos seus efeitos antimicrobicida e antifungicida e são mais baratos. Os materiais preparados foram caracterizados através de difração de raios-X e microtomografia de raios-X. Através de difração de raios-X observou-se que embora o cobre metálico não tenha sido obtido, foi possível, a partir do nitrato de cobre, produzir óxido de cobre I, bem como as fase triidroxi nitrato de cobre II e Cu4O3. Também foi feita uma avaliação da estrutura dos bambus pós-impregnação por microtomografia de raios-X, sendo possível observar uma penetração preferencial pelos canais xilema e floema do bambu. Foi possível obter nanopartículas de óxido de cobre I (Cu2O) de diâmetro na faixa de 25 nm – 41 nm e nanopartículas de paramelaconita (Cu4O3) de diâmetro 9 nm – 12 nm, conforme observado pelos resultados obtidos por difração de raios-X.
Descrição: Arquivo:   
NA ÍNTEGRA PDF