INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Formato DC



Título: WALTER BENJAMIM: A ARTE DE CITAR SEM ASPAS
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ANA LUIZA VARELLA FRANCO

Colaborador(es):  KATIA RODRIGUES MURICY - Orientador
Número do Conteúdo: 6952
Catalogação:  26/08/2005 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=6952@1
Referência [fr]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=6952@3
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.6952

Resumo:
A pesquisa sobre a arte de citar sem aspas é um estudo sobre a abrangência da filosofia da linguagem de Walter Benjamin. Esse estudo mostra que a arte de citar, descrita no trabalho Paris capital do século XIX - o livro das Passagens, responde ao modo de constituição da verdade proposto no prefácio do livro Origem do drama barroco alemão. Sob um modelo epistemológico- teológico e estético, Benjamin articula linguagem, história, teologia, filosofia e arte e propõe que o trabalho filosófico se efetive como interpretação alegórica. Benjamin está convicto de que a dimensão expressiva da linguagem é o lugar da verdade. Na imediatidade e historicidade da linguagem, a verdade se torna vis ível. Apresentase na esfera das idéias: ela é nome, é forma lingüística que confirma a união entre sensível e inteligível. Ela é uma estrutura monadológica que, como a obra de arte, não está pronta. A verdade se realiza historicamente, em uma configuração cuja cognoscibilidade recupera o passado, citando-o como origem. A arte de citar está em estreita correlação com a arte da montagem surrealista e em correlação com a forma da verdade e a forma da história. O passado, isto é, a história, pode ser citada, pois o objeto histórico, arrancado de seu contexto, explode o curso evolutivo da narrativa da história. Esse processo corresponde a uma intervenção crítica destruidora que rompe com conceitos estabelecidos e, alegoricamente, constrói uma nova tradição. No momento da escrita, no agora, a história é renomeada.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTO, RESUMO, RÉSUMÉ E SUMÁRIO  PDF  
CAPÍTULO 1  PDF  
CAPÍTULO 2  PDF  
CAPÍTULO 3  PDF  
CAPÍTULO 4  PDF  
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF  
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui