$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: A FORÇA FATAL DE JOÃO CABRAL DE MELO NETO: DA ANGÚSTIA DA INFLUÊNCIA EM ADRIANO ESPÍNOLA E EUCANAÃ FERRAZ
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ERICK MONTEIRO MORAES

Colaborador(es):  PAULO FERNANDO HENRIQUES BRITTO - Orientador
Número do Conteúdo: 47576
Catalogação:  20/04/2020 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=47576@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=47576@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.47576

Resumo:
Baseado no conceito de angústia da influência desenvolvido por Harold Bloom em sua tetralogia da influência (1973-76) e, posteriormente, reformulado em The anatomy of influence (2011), o presente estudo busca analisar as obras de Adriano Espínola e Eucanaã Ferraz como desleituras da obra de João Cabral de Melo Neto. Enquanto poeta tardio no âmbito do movimento modernista (Geração de 45), João Cabral precisou lidar não só com o fardo do Cânone Ocidental mas também com a tradição modernista que já havia se estabelecido à altura de sua estreia com Pedra do Sono (1942) — dentre seus pais poéticos encontram-se Willy Lewin, Joaquim Cardozo, Murilo Mendes e, sobretudo, Carlos Drummond de Andrade. Nosso objetivo é demonstrar que justamente o poeta modernista que mais sofreu da angústia da influência veio a se tornar, senão o mais influente, decerto aquele cujo legado é o mais problemático — constituindo, conforme a previsão de J. G. Merquior, verdadeiro obstáculo para poetas estreantes desde a década de 60 até poucos anos após a sua morte em 1999. Nossa hipótese central é que tanto Adriano Espínola quanto Eucanaã Ferraz — ambos estreantes nesse período — se tornam poetas forte” à medida que erigem suas respectivas obras contra a obra cabralina. O corpus deste estudo consiste num recorte da obra de Eucanaã que abrange poemas desde o primeiro ao último livro (1990-2017) e, de Adriano Espínola, no recorte feito pelo próprio poeta quando da organização de sua antologia pessoal Escritos ao Sol (2015).

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui