$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: ITINERÂNCIAS ZINE-FEMINISTAS: UM MERGULHAR EM DATILOGRAFIAS DE FÚRIA E SAUDADE
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): CAMILA OLIVIA DE MELO

Colaborador(es):  DENISE BERRUEZO PORTINARI - Orientador
Número do Conteúdo: 46323
Catalogação:  11/12/2019 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=46323@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=46323@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.46323

Resumo:
Em 2015, iniciei uma investigação etnográfica com o objetivo de mapear e participar de coletivos feministas que estivessem ativos politicamente por meio da mídia fanzine, ou zines. Entre 2015-2018, arquivamos 101 zines das regiões Centro-Sul do Brasil; circulamos por envelopes na troca de cartas, por eventos punkfeministas e, principalmente, por feiras de zines a céu aberto. A vertigem da cidade do Rio de Janeiro-RJ, nosso locus de pesquisa, nos afetou enquanto o país passava por uma série de tombamentos nas macroestruturas de poder. Neste cenário, as zineiras (quem faz zines) formavam alianças em gestos de resistência às violências cotidianas da metrópole e elaboravam relações políticas velcro-provisórias (Gloria Anzaldúa), sendo os zines a sua principal mídia de emissão e prática de si (Michel Foucault). Em nosso campo de pesquisa pudemos refletir sobre as práticas de escrita zinefeministas contemporâneas; os gestos de revide às violações de limites (dentro e fora de espaços contraculturais); e, com Judith Butler, enxergar os levantes como potência desses coletivos. Além disso, mergulhamos no trabalho da dadaísta Hannah Höch para analisar os zines de nosso recorte. A proposta desta tese foi problematizar as noções de comunidade, amizade e sabedorias consagradas; além das próprias experiências ocorridas na pesquisa dentro do que chamamos de campo zinefeminista. Observamos as dinâmicas, afetações políticas e relações entre as participantes dessa rede; aproximamo-nos de sua economia das trocas e, com as falas de zineiras não-heterossexuais, contamos uma história com impulsos de fúria e saudade.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui