$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Formato DC|



Título: TRADE CREDIT: INVARIANT INTEREST RATE. WHY?
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): KLENIO DE SOUZA BARBOSA

Colaborador(es):  WALTER NOVAES FILHO - Orientador
HUMBERTO LUIZ ATAIDE MOREIRA - Coorientador
Número do Conteúdo: 3701
Catalogação:  03/07/2003 Idioma(s):  PORTUGUESE - BRAZIL

Tipo:  TEXT Subtipo:  THESIS
Natureza:  SCHOLARLY PUBLICATION
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=3701@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=3701@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.3701

Resumo:
There is evidence - Petersen and Rajan (1997) - that suppliers have superior information on their clients capacity of repayment. However, Elliehausen and Wolken (1993) report that trade credit rates are frequently standardized. Why do not suppliers use their informational advantage to make the interest rate reflect the risk? This work shows that, if the demand for imputs is sufficiently inelastic, competition among banks leads the trade credit rate to be invariant and very close to banking rate. On the contrary, if the demand is sufficiently elastic, the trade credit rate is invariant and equal to zero, as usually occurs with suppliers credit with maturity until 10 days in USA.

Descrição Arquivo
COMPLETE  PDF  
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui