$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: AS MUTAÇÕES DE DIONISO EM NIETZSCHE: DA VISÃO DIONISÍACA DE MUNDO AO GÊNIO DO CORAÇÃO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): MICAEL ROSA SILVA

Colaborador(es):  PEDRO DUARTE DE ANDRADE - Orientador
Número do Conteúdo: 36825
Catalogação:  14/02/2019 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=36825@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=36825@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.36825

Resumo:
Esta tese tem como objeto de estudo as múltiplas formas que o símbolo Dioniso assume ao longo do pensamento nietzschiano. Podemos dizer que Dioniso acompanha Nietzsche durante toda sua produção intelectual, prefigurando a imagem mais importante de sua obra, se relacionando direta ou indiretamente com todos os grandes temas de sua filosofia. No entanto, o significado de Dioniso não é o mesmo durante toda a filosofia nietzschiana; pelo contrário, sua significação sofre uma radical transformação. Primeiramente, Nietzsche encontra em Dioniso, e em seu oposto Apolo, a chave para compreender a visão de mundo dos gregos antigos, e com isso, o meio para decifrar a própria existência. Em seus primeiros escritos, que compreendem a fase conhecida como metafísica do artista, o dionisíaco é essencial para elaboração de uma teoria estética que reconhecia no elemento musical das tragédias gregas o momento de superioridade da cultura ocidental. Todavia, o filósofo rompe com seus próprios preceitos, suspende temporariamente as menções a Dioniso e inicia a elaboração de uma filosofia trágica, isto é, combatente a toda forma de negação da vida. O segundo Dioniso renasce na obra nietzschiana despido de qualquer roupagem metafísica; o dionisíaco passa a ser ligado à imanência, aos instintos e, fundamentalmente, à afirmação da existência e ao louvor do instante. Sabendo disso, nosso trabalho divide-se em quatro partes que, juntas, formam um todo, uma verdadeira tragédia nietzschiana: primeira parte, quem era o deus antigo Dioniso; segunda, quais são os desdobramentos filosóficos de O Nascimento da tragédia; terceira, o que vem à cena, enquanto Dioniso se cala; e por fim, quais as nuances do Dioniso renascido e qual sua importância, segundo Nietzsche, para a cultura e para a vida.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui