INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: INFÂNCIA E EXPERIÊNCIA: SER CRIANÇA NO COTIDIANO DAS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ANELISE MONTEIRO DO NASCIMENTO

Colaborador(es):  SONIA KRAMER - Orientador
Número do Conteúdo: 35027
Catalogação:  06/09/2018 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=35027@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=35027@2
Referência [fr]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=35027@3
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.35027

Resumo:
Infância e escolarização são o foco dessa tese que se situa no campo da educação, com interlocução com a filosofia, a sociologia e a política. Com o objetivo de investigar a experiência da infância nas instituições, apoia-se, nos estudos da filosofia, especialmente no trabalho de Walter Benjamin e seu conceito de infância e de experiência; na sociologia da infância, campo marcado pelo reconhecimento da infância como construção social, componente da cultura/ sociedade, forma estrutural que não desaparece, e as crianças, atores, produto e produtoras dos processos sociais; e na análise do contexto político que envolve as práticas de institucionalização das crianças, tendo como inspiração os referenciais analíticos propostos por Ball e Mainardes (2001, 2006, 2011). O campo empírico foi construído a partir do banco de dados referente à observação em vinte e uma instituições de educação infantil da cidade do Rio de Janeiro no período de 2005 a 2008. O exame do material compreendeu um duplo movimento. O primeiro foi a análise panorâmica dos dados que evidenciou que independentemente do formato de institucionalização das crianças (se frequentam creches, pré-escolas ou turmas de pré-escola em escolas de ensino fundamental) a experiência de infância se dá no encontro entre os processos individuais e coletivos resultantes das relações das crianças com seus pares, com adultos, com os objetos, com a cultura/história, com a sociedade e com a natureza. Pode ser percebida através da observação das suas formas de apropriações, reproduções e reinvenções do mundo, assim como de seus modos próprios de interpretá-lo e de se relacionarem entre si, através da criação de regras, normas e expectativas que conduzem não só as ações pessoais, como o contexto em que estão inseridas, através da circulação que se dá na cultura de pares. O segundo movimento, teve nova orientação, na qual se buscou outra perspectiva de leitura e apropriação dos dados. Nela, o objetivo foi o enquadramento das situações que envolveram crianças e adultos em uma modalidade de atendimento educacional específica, para tal o contexto selecionado foi o das Pré-escolas exclusivas. Como conclusão destaca-se que a experiência de infância das crianças das pré-escolas observadas se materializa (1) na construção da identidade de ser criança, que ocorre em diálogo com o que concebem como ser adulto. (2) na aprendizagem do ofício do aluno (3) e no desafio do pertencimento a um grupo, pertencimento provocado pela inclusão das crianças um espaço público, compartilhado, onde desenvolverão suas culturas de pares.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui