INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: PESO E LEVEZA: PRESENÇA, CORPO E MEMÓRIA POR UMA POÉTICA DO ABRIGO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ADRIANO ANDRADE C DE MENDONCA

Colaborador(es):  JOAO MASAO KAMITA - Orientador
Catalogação:  03/05/2018 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=33781@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=33781@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.33781

Resumo:
A partir de uma constatação intuitiva de que a busca exaustiva por atribuição de sentido na arquitetura encontrou no pós-modernismo, certo esgotamento instrumental, o trabalho investiga o conceito de presença na arquitetura segundo o debate estabelecido entre Peter Eisenman e Kenneth Frampton no âmbito da teoria arquitetônica a partir da década de 1970. Os estudos sobre a tectônica e o regionalismo crítico de Frampton, como crítica à supremacia do cenográfico na sociedade do espetáculo em detrimento da experiência do corpo sensível, bem como a pesquisa sobre uma noção do abrigo originário na historiografia arquitetônica de Joseph Rykwert, oferecem um possível caminho de reafirmação da presença conforme definido por Hans Ulrich Gumbrecht: isto é, o reconhecimento da arquitetura como uma certa poética da construção, inserida no seio de uma determinada cultura construtiva, dentro de uma visão antropológica que toma o corpo e o espaço como dimensões ontológicas do homem no seu meio. A arquitetura é plasmada em meio ao céu e a terra, onde o homem constrói seu habitar, suspensa entre um desejo inerente e oscilante de alçar voo e de afundar na terra, fruto de uma busca pela casa arquetípica transmitida pela tradição na relação ritual deste homem com sua cosmologia. Esta discussão teórica estabelece as bases conceituais para uma análise crítica de obras de Lucio Costa, Lina Bo Bardi e Paulo Mendes da Rocha, em que se identifica, cada qual à sua maneira, uma certa noção de abrigo que transcende o tempo histórico em busca de um espaço mítico do construir, do habitar e do pensar. Arquiteturas em que tradição e modernidade, memória e imaginação, corpo e pensamento, peso e leveza são reunidos num eterno presente.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui