$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: ESTUDO DA FADIGA EM POLICARBONATO COM O USO DA TERMOGRAFIA
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): PATRICK RAINER BROKAMP MANHAES

Colaborador(es):  JOSE LUIZ DE FRANCA FREIRE - Orientador
VITOR EBOLI LOPES PAIVA - Coorientador
Número do Conteúdo: 31479
Catalogação:  19/09/2017 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TRABALHO DE FIM DE CURSO
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=31479@1
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.31479

Resumo:
Os métodos tradicionais para obter a curva de Wohler (curva SN) e o limite de fadiga de um material, embora tenham sido desenvolvidos há bastante tempo, são muito eficientes, porém apresentam pontos negativos, como o tempo de duração dos ensaios e custo. Com o avanço da tecnologia, diferentes técnicas foram desenvolvidas e aperfeiçoadas, possibilitando assim métodos menos dispendiosos. Uma dessas técnicas é a termografia aplicada à fadiga, que necessita um tempo mais curto para a realização dos ensaios e um menor número de espécimes, não os levando necessariamente até a falha final. Nesse trabalho foi estudado e analisado a metodologia desenvolvida por Risitano para medição do limite de fadiga e obtenção da curva SN do material utilizando a termografia. Esses métodos se baseiam na diferença de temperatura entre o espécime analisado e uma referência que está a temperatura ambiente. Quando o material esta sujeito a uma tensão cíclica superior ao seu limite de fadiga ele passa a ter uma resposta termoelástica muito maior do que em níveis de tensões abaixo desse patamar de tensão. Assim é possível correlacionar o comportamento a fadiga do material analisando sua resposta térmica. Neste projeto foi investigada a resistência à fadiga do policarbonato. Este material tem grande importância para aplicações onde se exigem transparência, leveza e resistência estrutural, principalmente grande tenacidade quando comparada a outros materiais polímeros. Foram realizadas medições utilizando diversos corpos de prova para determinação do limite de fadiga e da curva SN, envolvendo comparações entre os métodos SN tradicional e SN utilizando o procedimento de Risitano. Os valores encontrados foram comparados com a literatura, sendo observadas concordâncias dos resultados. Foi possível, através de comparações dos resultados obtidos nesse trabalho e dos resultados de outras referências, mostrar que a termografia, com uso do método de Risitano, é uma ferramenta eficiente para o estudo da fadiga, sendo uma excelente alternativa às metodologias tradicionais.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui