$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: O MUNDO QUE EU INVENTO, O MUNDO QUE ME INVENTA: VESTÍGIOS DE UM SELF PERDIDO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): MARISTELA PROVEDEL DE CARVALHO

Colaborador(es):  MARIA INES GARCIA DE FREITAS BITTENCOURT - Orientador
Número do Conteúdo: 31438
Catalogação:  14/09/2017 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=31438@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=31438@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.31438

Resumo:
Este trabalho pretende analisar, a partir de questões surgidas na prática clínica, a relação entre dois mundos: o mundo particular do indivíduo e o mundo externo a esse indivíduo, representado pelas chamadas sociedades pós-modernas. A idéia de um self perdido é para nós uma imagem representativa do que se passa na contemporaneidade quando as pessoas se esforçam para conseguir ser uma unidade nas gigantescas comunidades. Através de vinhetas clínicas ilustrativas vamos entrelaçar as narrativas pessoais com pontuações advindas da psicanálise e das ciências sociais. Procura-se observar como as sociedades tratam as pessoas e o quanto de senso crítico pode haver por parte destas acerca do mundo em que vivem. Entre tantas possibilidades de ser, uma em especial chama a nossa atenção pela forma astuciosa de pensar e agir. Abordaremos aqui um perfil de pessoas que conseguem transitar pelos excessos que as megalópoles despejam sobre elas utilizando para isso um filtro especial que lhes permite preservar o que possuem de mais precioso: sua autenticidade.

Descrição Arquivo
CAPA, DEDICATÓRIA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT, SUMÁRIO, EPÍGRAFE  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E ANEXOS  PDF
Logo maxwell Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui