INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: DESIGN E CULTURA AMAZÔNICA: O ESPAÇO SIMBÓLICO DO CAMPO DO DESIGN NO AMAZONAS
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): WILSON SILVA PRATA

Colaborador(es):  ALBERTO CIPINIUK - Orientador
Número do Conteúdo: 29998
Catalogação:  17/05/2017 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=29998@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=29998@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.29998

Resumo:
O presente trabalho busca identificar o processo de estruturação e a configuração do Campo do Design no Amazonas assim como as contribuições e consequências, concretas e simbólicas, deste para a cultura amazônica no contexto globalizado. O trabalho tem como enfoque o Campo do Design enquanto campo de produção de bens simbólicos e como principal produtor de bens e serviços na modernidade, como essa prática incide sob lugares historicamente tidos como periféricos, como a Amazônia, assim como o papel dessa prática no embate entre modernidade e tradição. A pesquisa parte do princípio de que a adoção irrestrita e irreflexiva dos cânones e das soluções modernas resulta na reprodução de seus erros e arbitrários. Para demonstrar isso, primeiramente é apresentado o instrumental teórico-metodológico para a análise das noções de cultura, sociedade, modernidade e do Campo do Design enquanto produtor de bens simbólicos. Estando esse instrumental posto, ele é utilizado para discernir as relações do homem com o meio amazônico e a construção histórica usando como objeto às suas formas de representação – cultura visual –, significado e valores sociais estabelecidos e associados a essas produções, demonstra-se como o locus de sentido da cultura amazônica se constituiu na floresta e que essa cultura, apesar de dominante na região, é preterida pelos dominantes. Para isso, foram selecionadas imagens de períodos históricos distintos da Amazônia, – conquista, colonização e da modernidade – como forma de ilustrar como essas ideias e noções determinavam a produção dessas formas de representação. Dessa forma foi possível circunscrever o modo como as elites econômicas, políticas e culturais do Amazonas produzem e legitimam as interseções das diferentes temporalidades históricas e como a ideologia comercial dominante globalmente – globalização – interfere na produção e circulação de bens simbólicos na região. Assim, a questão da configuração dos bens simbólicos não se pauta somente nem principalmente por uma deliberação formal, por um questionamento técnico e pelo avanço das técnicas de representação, mas sim, pelas ideias legitimadas pelas classes dominantes, pela relação do homem com o meio – principalmente na determinação das relações preferidas e preteridas –, e pelos recursos disponíveis para a realização dessa atividade. A partir das produções dos demais campos de produção de bens simbólicos, como a Arquitetura, a Arte, o Grafite e a Literatura, demonstra-se como o locus de sentido muda para a cidade a partir das últimas décadas do século XX e também a atualização, continuidade e desaparecimento de várias dessas noções, como as de Amazônia como infância do mundo, do progresso libertador, o impulso enciclopédico, a noção de que ver é conhecer, o determinismo natural, dentre outras. Por fim, é apresentado um modo de compreensão e valorização para o mercado de produção de bens simbólicos produzido pelo Design do Amazonas alternativo à ideologia comercial dominante globalmente, considerando-se especialmente as particularidades oriundas da cultura indígenas que foram hibridizados na para o surgimento cultura amazônica, sua forma de se relacionar com o meio, seu perspectivismo, seu entendimento de uma política cosmológica e os potenciais impactos dessas noções para o Campo do Design.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT, SUMÁRIO E LISTA DE FIGURAS  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui