INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: DO MILAGRE À MALDIÇÃO: SERGIO BERNARDES E BRASÍLIA (1968-74)
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): MARCELO AUGUSTO FELICETTI DA SILVA

Colaborador(es):  ANA LUIZA DE SOUZA NOBRE - Orientador
Número do Conteúdo: 28475
Catalogação:  20/12/2016 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=28475@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=28475@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.28475

Resumo:
A produção do arquiteto carioca Sergio Bernardes (1919/2002) é tão vasta quanto desconhecida. Assertivo e questionador, desde o início da carreira mostrou-se avesso à formatações conceituais, estilísticas ou projetuais. Graduado em 1948 pela Universidade do Brasil, atuou até os anos 1990 no campo alargado do projeto com significativa mudança da escala projetual nos anos 1960/70. Experimentando o aço como partido estrutural da arquitetura, aventurou-se pelo universo das geometrias não euclidianas, pendurou pavilhões como ponte e residenciais como teleférico; testou materiais leves na construção; impulsionou a produção industrial desenvolvendo elementos para fabricação em série. Num caminho ambicioso entre associações multidisciplinares do conhecimento, pesquisa laboratorial e investigação experimental no canteiro, perseguiu uma espécie de idealismo sistêmico, fundamentado num virtuosismo tecnológico. De arquiteto a inventor social , Bernardes reafirmou a crença no sujeito moderno, no poder da razão, na potência do projeto e numa ação preventiva do futuro. No contexto arquitetônico brasileiro dos anos 1960/70, apostou alto na renovação de sua arquitetura, aproveitando-se da proximidade com o poder militar, principalmente, durante o período de pujança econômica (alta concentração de rendas) e desenvolvimento progressista do país sob a Ditadura, o assim chamado período do milagre brasileiro (1968/73). Momento em que o arquiteto assume protagonismo na construção da então recém inaugurada capital federal – Brasília. Esta pesquisa analisa quatro projetos emblemáticos de Sergio Bernardes para Brasília – a sede do Instituto Brasileiro do Café – IBC (1968/71); o edifício do Ministério da Marinha – MM (1970/73); a Escola Superior de Guerra (1970/74) e o Monumento ao Pavilhão Nacional (1972) –, todos destinados ao governo militar e realizados no período do milagre , buscando entender em que medida eles significaram uma possibilidade sem precedentes para sua arquitetura e, ao mesmo tempo, abriram o caminho da maldição que assombra sua obra desde então.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT, SUMÁRIO, LISTAS DE FIGURAS, EPÍGRAFE  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui