$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Formato DC |



Título: ESTUDO DO PROCESSO DE DECOLAGEM NO AEROPORTO SANTOS DUMONT: UMA APLICAÇÃO DE MODELAGEM E SIMULAÇÃO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): JULIA BOECHAT LAVILLE
RAFAELLA FERRARI OMETTO COLOMBO

Colaborador(es):  ROBERTO CINTRA MARTINS - Orientador
Número do Conteúdo: 28153
Catalogação:  25/11/2016 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TRABALHO DE FIM DE CURSO
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=28153@1
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.28153

Resumo:
Este trabalho visa analisar o processo de decolagem do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o segundo aeroporto mais movimentado dos administrados pela INFRAERO. Ele possui um fator limitante para quantidade de aeronaves que nele operam: seu pátio. Pela localização geográfica do aeroporto, mesmo com obras para alteração da sua estrutura, não é possível aumentar a sua capacidade. Com isso, é de extrema importância que seus processos sejam realizados de maneira eficaz a fim de maximizar o atendimento à demanda. Uma alocação eficiente do espaço do aeroporto para as operações de solo e decolagens poderia reduzir os custos e elevar o nível de serviço oferecido aos passageiros. Assim, foi realizada uma análise do comportamento das aeronaves no pátio até que sua decolagem seja realizada. Também foram verificadas possíveis mudanças no processo com o objetivo de encontrar melhorias na eficiência do aeroporto. Para isso, foi utilizada a simulação. Este trabalho também visa contribuir para o entendimento e otimização dos processos de decolagem em geral, utilizando como base o Aeroporto Santos Dumont, podendo, posteriormente, ser replicado para outros aeroportos. Visando realizar esta análise, foram utilizadas técnicas de Teoria de Filas para entender cada parâmetro do sistema a ser estudado. Diante da complexidade do aeroporto, foi necessário adotar certas premissas que não prejudicariam o estudo. Com o modelo montado, foi possível transcrevê-lo para o Arena, software escolhido para realizar a simulação. Primeiramente, foi executada a simulação do modelo com os dados atuais do aeroporto, a fim de realizar um diagnóstico do processo de decolagens oferecido atualmente pelo Santos Dumont. Foi concluído que o aeroporto não apresenta formação de filas significativas em nenhuma parte do seu processo de decolagem. Para avaliar se haveria possibilidade de um aumento de aeronaves atendidas, ou se o aeroporto conseguiria funcionar sem gargalos, caso o tempo de atendimento aumentasse devido a imprevistos, dois outros cenários foram definidos e inseridos no modelo. No primeiro, diminuiu-se em aproximadamente 20 por cento o tempo entre chegadas e, no outro, aumentou-se em aproximadamente 20 por cento o tempo de atendimento nos boxes. Verificou-se que em ambos os cenários hipotéticos não ocorreu formação de fila significativa, nem a capacidade do aeroporto foi ultrapassada. Como o aeroporto suportou o aumento de aproximadamente 20 por cento dos voos, o último passo consistiu em comparar outros diferentes cenários até que a capacidade do aeroporto fosse ultrapassada ou que houvesse formação de fila significativa. Chegou-se à conclusão de que o Aeroporto Santos Dumont conseguiria atender um aumento de 30 por cento de voos sem que sua capacidade atual fosse alterada.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF  
Logo maxwell Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui