INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: ARQUÉTIPOS DO PAI: A PATERNIDADE E O MASCULINO EM TRANSFORMAÇÃO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): BERNARDO ANTÔNIO ALMEIDA PINTO DE SOUZA

Colaborador(es):  LIDIA LEVY DE ALVARENGA - Orientador
Número do Conteúdo: 27714
Catalogação:  20/10/2016 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=27714@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=27714@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.27714

Resumo:
Na composição familiar, o papel do pai foi um dos que mais se transformou ao longo dos últimos anos. Nesta dissertação, propomos uma investigação acerca das mudanças pelas quais passaram e ainda passam os homens e pais na pós-modernidade. Para tanto, nos servimos do arcabouço teórico da Psicologia Analítica de C. G. Jung. Dentro desta linha teórica, destacamos principalmente os arquétipos masculinos e o arquétipo do pai, os quais muitas vezes se confundem, bem como suas manifestações diferenciadas nos dias de hoje. De modo análogo, ponderamos os estatutos da persona e da sombra no pai da modernidade e no pai da atualidade. A ideia de pai já existia de forma inconsciente antes do entendimento da paternidade física. A paternidade, entendida como uma invenção social, é uma atribuição específica do homem, enquanto a maternidade é específica da mulher. Foi necessário fazer o contraponto entre masculino e feminino, entre patriarcado e matriarcado, assim como paternidade e maternidade, pois tais temas se mostram profundamente entrelaçados. Além disso, recorremos à mitologia e aos rituais descritos em estudos antropológicos para auxiliar no entendimento da antiguidade destas questões. Haja vista a ocorrência de uma relativização dos arquétipos masculinos na cultura atual, propomos a discussão do conceito de novo pai e se este poderia ser considerado como um novo símbolo do masculino no campo da paternidade.

Descrição Arquivo
CAPA, DEDICATÓRIA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT, SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
CAPÍTULO 6  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui