INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: TER OU NÃO TER FILHOS: DESEJO OU DESTINO? FAMÍLIA, SUBJETIVIDADE FEMININA E MATERNIDADE
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): VIVIANE ANDRADE PEREIRA

Colaborador(es):  TEREZINHA FERES CARNEIRO - Orientador
Número do Conteúdo: 27174
Catalogação:  15/08/2016 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=27174@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=27174@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.27174

Resumo:
Partindo das postulações de teóricos que investigam a conjugalidade e a contemporaneidade, e de conceitos da teoria psicanalítica, o presente trabalho teve por objetivo investigar as representações de família e maternidade, tendo em vista as transformações da subjetividade feminina na atualidade. O contexto da pós-modernidade e da globalização aparece como pano de fundo para refletir sobre família, amor, feminino e a representação psíquica de filhos para as mulheres. A indagação principal girou em torno da questão de como mulheres casadas lidam com a ausência de filhos, no contexto das reconfigurações do papel da mulher na sociedade contemporânea. Participaram do estudo nove mulheres heterossexuais, residentes, com seus parceiros, no interior do Estado do Rio de Janeiro, com idades entre 42 e 54 anos, casadas, no mínimo há cinco anos, sem filhos. Foi utilizada uma metodologia qualitativa, a partir de entrevistas com roteiro semiestruturado, que contemplou temas relevantes visando a atingir os objetivos propostos. Para a avaliação do material coletado foi utilizado o método de análise de conteúdo, tal como proposto por Bardin (2010). Os resultados obtidos apontaram para dois principais conjuntos de questões que se entrelaçam de maneira complexa. O primeiro ressalta o fato de que, no contexto das transformações da sociedade e, consequentemente, do papel da mulher, não ter filhos não significa um fracasso no projeto de ser mulher, mas, sim, uma escolha defensável discursivamente. Por outro lado, o segundo pontua que, apesar de todas as mudanças e dos novos arranjos familiares, a questão e os dilemas de ser, ou não ser, mãe ainda comparecem como centrais para a subjetividade feminina, e, muitas vezes, o sentimento amoroso ainda se atrela ao padrão romântico, levando a perceber os filhos como essenciais para o modelo de felicidade conjugal.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui