INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: HISTÓRIA É O QUE MAIS TEM: NARRATIVAS E A CONSTRUÇÃO DISCURSIVA DAS IDENTIDADES DE OBESIDADE
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): CLAUDIA ALMADA GAVINA DA CRUZ

Colaborador(es):  LILIANA CABRAL BASTOS - Orientador
Catalogação:  07/04/2016 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=26098@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=26098@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.26098

Resumo:
A presente tese tem por objetivo investigar a emergência das identidades de obesidade em histórias contadas por grandes obesos que frequentam uma ONG no Rio de Janeiro para atendimento a pessoas nessa condição. Trata-se de um trabalho de inspiração etnográfica orientado pelo paradigma interpretativista de pesquisa, cujos dados foram gerados em entrevistas individuais e em grupo com pacientes da referida instituição no ano de 2013. Dentro de uma perspectiva de estudos na qual a linguagem é compreendida como co-construída, situada e constitutiva da vida social, esse estudo pretende se afastar de uma visão essencialista sobre o tema das identidades que é aqui enfocado como oriundo de interações discursivas nas quais se dão as negociações de sentido sobre quem somos/pretendemos ser. Nesse movimento de negociação, as pessoas parecem estar continuamente envolvidas em contar histórias, o que aponta para a relevância do estudo das narrativas cotidianas como oportunidade privilegiada para a compreensão da ordem social. Ao participar de uma história, os interagentes localizam-se, simultaneamente, em relação uns aos outros e a uma ordem macrodiscursiva, onde diferentes discursos a respeito do corpo estão em circulação. Conforme observado nas histórias aqui analisadas, a não adequação a um padrão corpóreo tido como ideal costuma resultar na exclusão social dos sujeitos que nele não se enquadram, o que se dá em diferentes situações cotidianas: uso de transportes públicos, relações afetivas, relações de consumo, entre outras. Entretanto, visto que as interações discursivas representam ocasiões onde os significados estão em disputa, esse estudo ressalta a importância da microinteração como espaço para a contestação de sentidos cristalizados no senso comum sobre o que significa ser obeso. Portanto, está aqui destacado o modo como os interagentes negociam suas identidades de obesidade para além do estigma. Além de contribuir para as teorizações na área do discurso, ao debater as construções identitárias via narrativas, essa investigação aponta para questões aplicadas ao tematizar as dificuldades enfrentadas por grandes obesos e sua tentativa de superá-las. Assim, essa tese pretende ser um convite a um debate multidisciplinar sobre a obesidade, ao apontar para a urgência na adoção de políticas públicas com vistas à inclusão de pessoas que precisam ter sua existência social reconhecida.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui