$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: MERCADORIAS COM CURTO PRAZO DE VALIDADE: UM OLHAR SOBRE A SAÚDE DOS TRABALHADORES DE UM CALL CENTER DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): VANDERLEI CARDOSO DA ROCHA

Colaborador(es):  INEZ TEREZINHA STAMPA - Orientador
Número do Conteúdo: 24713
Catalogação:  03/06/2015 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=24713@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=24713@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.24713

Resumo:
Este estudo buscou apreender a experiência laboral dos sujeitos que trabalham como operadores de call center na cidade do Rio de Janeiro. Tais sujeitos, em determinado momento de suas vidas, não conseguiram manter suas atividades em seus postos de trabalho devido ao adoecimento de sua saúde física ou mental, em consequência do trabalho que desenvolvem nas centrais de teleatendimento, na cidade do Rio de Janeiro. Dessa forma, tiveram que se afastar de suas funções por tempo indeterminado e vivenciaram a dificuldade de reabilitação e o retorno a seus postos de trabalho. Este adoecimento acontece devido à desregulamentação e intensificação de direitos, resultante da precarização do trabalho, ocasionada principalmente pela terceirização nos setores de serviço inseridos na nova conjuntura econômica mundial, que acaba flexibilizando as formas de trabalho e exaurindo ao máximo o trabalhador, e causando seu adoecimento. O perfil dos trabalhadores de call center se destaca por ser bastante heterogêneo. É composto, em sua maioria, por jovens moradores das periferias cariocas, havendo predominância de mulheres na função. Como a própria gerência se autodenomina, os call centers seriam um espaço onde todos são bem-vindos, agregando grande parcela de uma população considerada como minoria na nossa sociedade e vítima de diversos preconceitos, tais como mulheres, negros, obesos e homossexuais. A pesquisa pautou-se em dados coletados através do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicação do Estado do Rio de Janeiro (Sinttel-Rio), obtendo informações sobre a maior empresa de call center da cidade. Foi possível observar que as doenças que mais afastam os trabalhadores de suas funções são as LER/Dort, apesar do crescente número de afastamento de teleoperadores por problemas ligados à saúde mental, tais como depressão, stress, doença do pânico, todas causadas pelas constantes pressões sofridas no ambiente de trabalho, como a necessidade de atender a ligação em tempo determinado, vender produtos como seguros, não chegar atrasado, ser sempre cortês e educado mesmo com as adversidades enfrentadas no atendimento, que fogem do controle do operador; ser monitorado durante todo o tempo de ligação, dentre outras, Ou seja, o operador tem que ter o sorriso na voz durante o grande número de ligações que atende e durante toda a jornada de trabalho. Estas pressões e a forma como ocorre o processo de trabalho na empresa estudada acabam por levar ao esgotamento físico e mental, causando o afastamento do trabalhador de suas funções. Outro problema observado diz respeito à recuperação desse trabalhador e o retorno ao seu posto de trabalho após a reabilitação. Tais elementos denotam que os operadores de telemarketing acabam sendo tratados como mercadoria, cujo prazo de validade, pelos problemas que enfrentam, é bastante curto.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui