INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: A DISPUTA PELAS PALAVRAS MATRIMÔNIO E CASAMENTO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): BRUNO BIMBI

Colaborador(es):  HELENA FRANCO MARTINS - Orientador
Catalogação:  26/04/2011 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=17351@1
Referência [es]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=17351@4
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.17351

Resumo:
Este trabalho investiga a disputa pelas palavras matrimônio e casamento no debate legislativo sobre os direitos civis dos casais homossexuais na Espanha, em Portugal e na Argentina. Partindo-se de uma visão da linguagem como práxis, ou, em termos wittgensteinianos, como forma de vida, constrói-se uma reflexão sobre discursos favoráveis e contrários ao uso dessas palavras no âmbito do debate jurídico-político acontecido nos três países citados. Mais especificamente, analisam-se transcrições documentais de sessões legislativas que tiveram esse assunto como pauta, levando-se em conta também a sua repercussão na mídia. O estudo aponta particularidades relativas ao que se deu em cada país, salientando, no entanto, as seguintes tendências gerais convergentes: (a) o eixo das argumentações mobiliza em grande parte a questão da correção ou incorreção das palavras em foco, com apelo frequente a argumentos linguísticos, sobretudo de natureza etimológica e lexicográfica; (b) no campo etimológico, o debate parece reencenar, surpreendentemente, a antiquíssima controvérsia sobre a justeza dos nomes contida no Crátilo de Platão; e (c) os argumentos de ambas as partes são frequentemente vacilantes e inconsistentes: dão a ver a força de raciocínios representacionistas e essencialistas na esfera pública, mas indicam também um reconhecimento tácito da força político-performativa da linguagem.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, RESUMEN E SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
CAPÍTULO 6  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui