$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Formato DC|



Título: SAÚDE DOS ESCRAVOS: O IMPACTO DA EPIDEMIA DE CÓLERA NA POPULAÇÃO CATIVA (1855-1856)
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): DANIEL GUIMARAES ELIAN DOS SANTOS

Colaborador(es):  ILMAR ROHLOFF DE MATTOS - Orientador
KAORI KODAMA - Coorientador
Número do Conteúdo: 16246
Catalogação:  03/09/2010 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TRABALHO DE FIM DE CURSO
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=16246@1
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.16246

Resumo:
Apesar de ser conhecida pela insalubridade, a cidade do Rio de Janeiro era considerada pelas autoridades médicas locais como livre das epidemias que assolavam a Ásia, Europa e América do Norte. No entanto, no ano de 1855, a cólera morbo aportou na Corte, após ter vitimado milhares de pessoas por todo o mundo desde o início do século XIX. A pesquisa realizada na Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro mostrou que entre os meses de julho de 1855 e junho de 1856, a cidade contabilizou 4.900 mortes causadas pela moléstia reinante, havendo um número elevado de escravos entre as vítimas fatais. Embora a cólera atingisse todas as classes sociais, era nítida sua maior incidência sobre a população cativa e pobre, que vivia em condições precárias de habitação, saúde, alimentação e trabalho, o que favorecia o surgimento de diversas doenças, entre elas, a cólera. Junto à eclosão da epidemia de cólera, a Homeopatia começou a ganhar espaço e a preferência da população carioca. Um dos fatores que contribuiu para a ascensão da Homeopatia foi a criação da Junta de Higiene Pública. Essa entidade recémcriada foi responsável por conceder plenos poderes aos médicos quanto às questões de controle da saúde pública, fato este que se tornou alvo de severas críticas por parte da sociedade, a qual buscava novas práticas terapêuticas.

Descrição Arquivo
NA ÍNTEGRA  PDF  
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui