INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC



Título: O DEVIR MULHER NEGRA: SUBJETIVIDADE E RESISTÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE DO CAPITALISMO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): VANESSA SANTOS DO CANTO

Colaborador(es):  DENISE PINI ROSALEM DA FONSECA - Orientador
GIUSEPPE MARIO COCCO - Coorientador
Número do Conteúdo: 15052
Catalogação:  26/01/2010 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=15052@1
Referência [en]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=15052@2
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.15052

Resumo:
O setor bancário brasileiro é um dos mais dinâmicos do mundo e se constituiu em um pilar consistente de direitos vinculados ao emprego, e com um sindicato bastante atuante. Porém, a crise do capitalismo tem sido apontada como a principal causa da perda de suas bases de atuação. Além disso, observa-se que a emergência de demandas por direitos pautados em processos identitários de gênero e étnico/raciais convivem com a antiga subjetividade da categoria ainda presa aos padrões desenvolvimentistas. Neste sentido, o presente trabalho apresenta algumas reflexões acerca da inserção profissional das mulheres negras no setor bancário. Aborda o enfraquecimento da relação salarial, sobretudo, a partir dos avanços tecnológicos e dos processos de terceirização, bem como as possibilidades de resistência e os modos de subjetivação desenvolvidos neste contexto. Neste sentido, a questão do sujeito na contemporaneidade é de suma importância e se relaciona diretamente às questões relativas ao papel desempenhado pela identidade no processo de ação política das mulheres negras. Destaca-se, ainda, que tal processo não deve ser visto de maneira deslocada das transformações que marcam o mundo do trabalho contemporâneo, mas que se relacionam de maneira intrínseca com o novo modo de organização do capitalismo. A reflexão aqui proposta tem por fundamento o fato de que no mesmo momento em que as questões relacionadas a gênero e raça ganham maior visibilidade na sociedade brasileira, sobretudo a partir da promulgação da Constituição da República de 1988, a globalização atinge o país com toda vitalidade. Compreender tais transformações se torna essencial para apreender as novas dinâmicas sociais que se estabelecem, buscando contribuir para a abordagem acerca da questão racial e das relações de gênero que têm sido cada vez mais debatidas e ampliar os estudos específicos sobre as mulheres negras no Brasil.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT E SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E ANEXOS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui