$$\newcommand{\bra}[1]{\left<#1\right|}\newcommand{\ket}[1]{\left|#1\right>}\newcommand{\bk}[2]{\left<#1\middle|#2\right>}\newcommand{\bke}[3]{\left<#1\middle|#2\middle|#3\right>}$$
INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS AUTORAIS


As obras disponibilizadas nesta Biblioteca Digital foram publicadas sob expressa autorização dos respectivos autores, em conformidade com a Lei 9610/98.

A consulta aos textos, permitida por seus respectivos autores, é livre, bem como a impressão de trechos ou de um exemplar completo exclusivamente para uso próprio. Não são permitidas a impressão e a reprodução de obras completas com qualquer outra finalidade que não o uso próprio de quem imprime.

A reprodução de pequenos trechos, na forma de citações em trabalhos de terceiros que não o próprio autor do texto consultado,é permitida, na medida justificada para a compreeensão da citação e mediante a informação, junto à citação, do nome do autor do texto original, bem como da fonte da pesquisa.

A violação de direitos autorais é passível de sanções civis e penais.
Coleção Digital

Avançada


Estatísticas | Formato DC|



Título: A PARÁBOLA DOS VINHATEIROS HOMICIDAS DE MATEUS 21,33-46 À LUZ DAS RESSONÂNCIAS DE ISAÍAS 5,1-7
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ELIEZER ALVES DE ASSIS

Colaborador(es):  ISIDORO MAZZAROLO - Orientador
Número do Conteúdo: 10073
Catalogação:  20/06/2007 Idioma(s):  PORTUGUÊS - BRASIL

Tipo:  TEXTO Subtipo:  TESE
Natureza:  PUBLICAÇÃO ACADÊMICA
Nota:  Todos os dados constantes dos documentos são de inteira responsabilidade de seus autores. Os dados utilizados nas descrições dos documentos estão em conformidade com os sistemas da administração da PUC-Rio.
Referência [pt]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=10073@1
Referência [fr]:  https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=10073@3
Referência DOI:  https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.10073

Resumo:
A parábola dos vinhateiros homicidas de Mateus 21,33-46 à luz das ressonâncias de Isaías 5,1-7 apresenta pontos de conexão com o texto hebraico e com a versão da Septuaginta. Esta dissertação comprova a intertextualidade e a partir desta constatação são verificadas as conexões com Isaías que já estavam presentes na forma original da parábola dos vinhateiros, que foram estilisticamente modificadas nas fases subseqüentes da tradição, influenciando redacionalmente a parábola dos vinhateiros na versão de Mateus. O estudo focaliza o modo no qual a parábola foi adaptada e aplicada por Mateus, sendo recoberta com um esquema histórico-salvífico e com uma interpretação cristológica e eclesiológica; como na apresentação do ideal moral formulado em Mateus 21,43, trata-se de um desenvolvimento da ênfase que é colocada no comportamento moral correto mishpat e da tsedaqah, conforme Isaías 5,7. A essência jurídica, tal qual como apresentada em Isaías 5,1- 7, é empreendida completamente pelo redator mateano, de tal modo que a acusação, originalmente apontada para beit Israel, foi direcionada aos oponentes de Jesus, que não atendiam ao ideal moral estabelecido em 21,43 poiountes tous karpous. Como conseqüência, a culpabilidade de Israel é verificada com a perda da Basileías sendo transferida para um ethnous. A conclusão do trabalho mostra que na versão de Mateus foi preservada a natureza jurídica paradigmática do cântico da vinha de Isaías a partir das ressonâncias presentes na parábola dos vinhateiros homicidas.

Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, RÉSUMÉ, SUMÁRIO E LISTAS  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
CAPÍTULO 6  PDF
CAPÍTULO 7  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
Agora você pode usar seu login do SAU no Maxwell!!
Fechar Janela



* Esqueceu a senha:
Senha SAU, clique aqui
Senha Maxwell, clique aqui