Buscas - Coleção Digital
    :                                                                                                 Direitos Autorais
PUC-Rio
PUC-Rio
Toolbox E-mail Help Plugins Acessos Area Restrita
aba parte esquerda Coleção Digital aba parte direita
aba parte esquerda Sala Virtual aba parte direita
aba parte esquerda Sala de Aula aba parte direita
aba parte esquerda Notícias aba parte direita
aba parte esquerda EMA aba parte direita
aba parte esquerda Projetos Especiais aba parte direita
Aumentar letra Diminuir letra Normal Contraste
 
Maxwell
imagem de espaçamento
  Página Inicial
imagem de espaçamento
  Buscas
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
  Estatísticas
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
  Sobre
imagem de espaçamento
rodape do menu
Consulta aos Conteúdos

 

Título: IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DOS TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA: UM ESTUDO DE VÍDEOS FAMILIARES
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): MARIANA LUISA GARCIA BRAIDO
Colaborador(es): CAROLINA LAMPREIA - Orientador
Catalogação: 01/03/2007 Idioma(s): PORTUGUÊS - BRASIL
Tipo: TEXTO Subtipo: TESE
Referência [pt]: http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=9579@1
Referência [en]: http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=9579@2
Resumo:
Na literatura sobre identificação dos transtornos do espectro autista (TEA) não existe consenso acerca das categorias que indicam risco de TEA aos 12 meses. A metodologia utilizada nos estudos de vídeos familiares retrospectivos favorece a análise de categorias comportamentais discretas em detrimento de uma análise da interação social. O objetivo deste estudo é testar uma metodologia que permita analisar qualitativamente as interações sociais bebê-adulto em um grupo de bebês com TEA e um grupo de bebês com desenvolvimento típico (DT) registradas em vídeo aos 12 meses. Os resultados demonstraram que no grupo TEA os padrões de interação foram distintos dos padrões exibidos no grupo DT. A metodologia testada viabilizou a análise qualitativa das interações bebê-adulto dos dois grupos de bebês e possibilitou que fosse realizada uma análise quantitativa dos dados, cujo resultado foi comparado com os de outros estudos de vídeos familiares. As implicações sobre o uso da interação bebê-adulto como medida de identificação de TEA aos 12 meses são discutidas.
Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT E SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E ANEXOS  PDF
<< voltar